Início / Fale Conosco / Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

A Sabesp recomenda o uso doméstico dos trituradores alimentos em pias de cozinha? Por que?

Os trituradores não são recomendados por não serem ambientalmente adequados, pelas seguintes razões:

1) podem contribuir para maior poluição dos corpos d' água, ao aumentar muito a carga orgânica nos lançamentos de esgotos não tratados, como é o caso de boa parte dos municípios do país, onde não há tratamento. Mesmo  nas áreas em que há coleta e tratamento não faz sentido gastar energia elétrica em bombeamento e nas estações de tratamento com uma carga orgânica que deve seguir para compostagem ou aterro. Registre-se que o próprio triturador é mais uma fonte de consumo de energia doméstica;

2) podem ocasionar problemas de obstrução na rede de esgotos, pois formam uma massa mais consistente que pode ficar mais rígida ou se agregar a lixo indevidamente lançado nas privadas como: pontas de cigarro, lâminas de barbear, hastes flexíveis, fio dental, preservativos, absorventes, fraldas descartáveis, panos e esponjas de limpeza dentre outros. Este lixo tende a ser aglutinado pelo óleo de fritura, que ao se solidificar cria um bloco que prejudica ainda mais o fluxo de esgoto. Por isto a Sabesp promove respectivamente a campanha "Privada não é Lixeira!" e o PROL - projeto de fomento à reciclagem de óleo de fritura;

3) as cascas de frutas e verduras, borra de café e outras sobras de alimentos não devem ser lançadas na rede de esgoto também por serem compostáveis. Há no mercado mini-composteiras, algumas usando minhocas, que podem ser deixadas no quintal ou área de serviço, que produzem composto para uso em jardins e vasos de plantas., sem gerar mau cheiro ou atrair insetos ou ratos;

4) alguns aterros no país, como em São Paulo e no Rio, produzem energia a partir do gás gerado. Portanto direcionar material orgânico como sobra de alimentos para o lixo, contribui para esta forma de energia alternativa com redução das emissões de gases de efeito estufa. Há ainda estudos para se instalar usinas para recuperação energética a partir da queima do lixo, produzindo eletricidade e vapor e também nesta perspectiva não é adequado usar a rede de esgoto como destinação para tais resíduos;

5) um triturador significa mais uma fonte doméstica de consumo de energia, algo indesejável em tempos de aquecimento global.
 



Qual a estimativa de poluição das águas causada por uma pilha comum?

Isto depende do tamanho da pilha e do metal considerado na avaliação. As pilhas contém metais pesados como zinco manganês e mercúrio.
A poluição é objeto de regulamentação legal e que leva em conta a qualidade do corpo d'água, por sua vez associada à classe de uso.
Uma pilha AAA poderia gerar a contaminação de mais de 7500 litros de água, considerando como premissas os limites para presença de mercúrio da resolução Conama 257/99 e os padrões de qualidade p/ corpos d' água classe 1 - águas doces do art. 34 da resolução Conama 357/05.
Ou seja, trata-se apenas de algo indicativo. O que se aponta é que se o conteúdo máximo de mercúrio permitido pela legislação numa pilha AAA, fosse integralmente dissolvido em água no corpo d' água da classe de melhor qualidade se ultrapssaria o limite para concentração deste metal altamente tóxico num volume a partir de 7500 litros.



Quais são os números de consumo do brasileiro?

O brasileiro tem cerca de 5% da sua pegada em casa, com consumo de água na cozinha e no banheiro, e 95% estão relacionados com o que compra no supermercado, especialmente com produtos agrícolas. Outro dado importante é que 8% da pegada do brasileiro estão fora do País, um índice muito pequeno se comparado aos 85% da Holanda.



Só as empresas devem atentar a esse conceito ou nós, cidadãos, também?

Ao analisar a pegada hídrica de um produto, é preciso levar em consideração as etapas do processo de fabricação e os locais por onde ele passou – desde a matéria-prima até o produto final. Também é importante qe os consumidores se preocupem com o consumo durante a utilização.

As companhias precisam entender como utilizar os recursos hídricos da melhor forma e devolvê-los limpos para a natureza. Já os consumidores devem se preocupar com a origem dos produtos que consomem e com os procedimentos adotados na produção.



Há algum selo para certificar o produto foi fabricado com economia de água?

Desconhecemos a existência de selos para facilitar a compra consciente. O ideal é consultar a Cartilha de Uso Racional da Água da Fecomercio/Sabesp ou o sítio www.waterfootprint.org.

 

 

 



Quais são os produtos que acabam consumindo mais água no processo de produção?

São os bens industriais que tem processo úmido ou os cultivos que dependem de mais água.

 



O que as empresas podem fazer para reduzir esses gastos?

Desenvolver o uso racional da água e utilizar água de reuso. A Sabesp pioneiramente no país, desde 1996, fornece água de reuso a partir do efluente final de estações de tratamento de esgoto (ETEs) na RMSP. Atualmente 5 ETEs atendem 55 clientes com 2,3 milhões de metros cúbicos de água de reuso para fins industriais e urbanos (lavagem de ruas, monumentos, desobstrução de galerias e aguada de áreas verdes). Novos uso como produção de concreto não estrutural, cura de concreto, lavagem de trens estão sendo prospectados.
 



As grandes empresas multinacionais e as brasileiras, já estão considerando a pegada em seus cálculos?

É generalizado o uso de indicadores de consumo específico de água (por unidade de produto, por m³, por m² ou por tonelada, dependendo do processo e tipo de bem).

Já existem empresas brasileiras com a intenção de calcular sua pegada hídrica, como a Natura.


 



Já está se pensando em uma legislação para o consumo consciente nos processos produtivos?

O tema é mais de mercado do que de legislação, que poderia engessar e criar dificuldades burocráticas.

A Sabesp oferece as empresas o PURA – programa de uso racional da água, envolvendo diagnóstico, reprojeto de instalações hidráulicas e treinamento de pessoal. O PURA já foi adotado em mais de 1900 prédios públicos com economia de 46500m³/mês e em alguns prédios a eliminação de vazamentos e redução de pressão na rede interna proporcionou economia de mais de 25%. Maiores informações se encontram no www.sabesp.com.br/solucoesambientais



Quantos litros de água se gasta para produzir carne de boi? O que está envolvido nisso?

1 kg de carne bovina 17.500 litros de água
- E para se fabricar uma roupa?
1 camiseta de algodão 2.700 litros de água
Porém se gasta mais no ciclo de uso c/ as várias lavagens.
Há que se pesar outros aspectos. O algodão é biodegradável e de fonte renovável.

 



Qual é a solução recomendada para o lixo orgânico domiciliar, levando em conta o consumo consciente?

Recomendamos sempre que viável compostar resíduos como cascas de frutas e de ovos, cascas e talos de verduras, bem como borra de café e de mate conforme item 3 acima. Quando  isto não for viável devem ser dispostos no lixo.
 



Há risco de entupir encanamentos ao instalar um triturador de alimentos?

Sim, podem ocasionar problemas de obstrução na rede de esgotos, pois formam uma massa mais consistente que pode ficar mais rígida ou se agregar a lixo indevidamente lançado nas privadas como: pontas de cigarro, lâminas de barbear, hastes flexíveis, fio dental, preservativos, absorventes, fraldas descartáveis, panos e esponjas de limpeza dentre outros. Este lixo tende a ser aglutinado pelo óleo de fritura, que ao se solidificar cria um bloco que prejudica ainda mais o fluxo de esgoto. Por isto a Sabesp promove respectivamente a campanha "Privada não é Lixeira!" e o PROL - projeto de fomento à reciclagem de óleo de fritura



O papel higiênico pode causar problemas ao tratamento de esgotos?

O papel higiênico também não causa dificuldades ao tratamento de esgoto e agrega carbono para digestão bacteriana.
Ambientalmente é melhor digerir este resíduo numa estação de tratamento de esgotos (ETEs), onde em geral gera gás carbônico (CO2) e não metano, um gás 25 vezes mais potente em termos de efeito estufa. Obs: as ETEs que produzem metano em biodigestores de lodo, possuem queimadores, que convertem o metano em CO2. No caso de disposição em aterro, ocorre a geração de metano, que em geral, é liberado para atmosfera, exceto nos poucos casos em que é parcialmente queimado, ou então captado para produção de energia.
No estudo técnico sobre a composição de lixo retido nas grades do tratamento preliminar das ETEs ABC na capital e de Franca, apresentado no 26º CBESA da ABES em set/2011, não se constatou a presença de papel higiênico.



O papel higiênico pode ser jogado no vaso sanitário?

O papel higiênico não deve ser jogado na privada por razões de entupimentos na rede interna. Deve-se evitar lançar lixo nos ralos, vasos sanitários e pias por prejudicar o funcionamento da rede coletora de esgotos e ocasionar retorno dos resíduos e até grandes vazamentos.



Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.