Notícias

Sempre alerta! 23 de abril: Dia Mundial do Escoteiro

 23/04/2012 às 07:00

Grupo de Escoteiros TabapuãO "Dia Mundial do Escoteiro" é comemorado em 23 de abril em todo o mundo, em homenagem ao santo padroeiro dos escoteiros, São Jorge, escolhido por Baden-Powell desde que o movimento começou. O santo é conhecido por sua lenda, em que numa determinada ocasião chegou a uma cidade chamada Salém, perto da qual vivia um dragão que diariamente devorava alguém escolhido por sorteio. No dia em que São Jorge chegou lá a sorte havia caído sobre a filha do rei, Cleolinda. Então São Jorge atacou e matou o dragão, salvando a donzela. A exemplo dessa bravura, Powell escolheu o santo como um modelo a ser seguido pelos escoteiros.

O escotismo chegou ao Brasil por volta de 1910, através do primeiro tenente da Marinha de Guerra Eduardo Henrique Weaver, que simpatizou com o revolucionário método de educação complementar que o movimento oferecia. O ideal se espalhou rapidamente, chegando a São Paulo quatro anos depois. Já em 1924 foi criada a União dos Escoteiros do Brasil, que hoje conta com mais de 60 mil escoteiros filiados em todo país.

Enfatizando o ideal escoteiro e sua preocupação com o meio ambiente, a Sabesp criou a personagem Gabi, do Clubinho Sabesp. A escoteira surgiu baseada na preocupação com os problemas sanitários nas cidades, tendo o objetivo de dar um exemplo às crianças quanto a conservação e preservação ambiental. De acordo com o Clubinho Sabesp, “o intuito de Gabi é se formar em Engenharia Sanitária para se tornar uma profissional capaz de buscar respostas para os problemas ambientais de São Paulo e promover a melhoria da qualidade de vida das pessoas”.

Grupo de Escoteiros TabapuãA Sabesp, preocupada com a preservação e o cuidado desses jovens com a natureza, apoia diversos grupos de escoteiros pelo estado, em conjunto com os polos regionais e metropolitanos. Dentre eles há o Grupo de Escoteiros Tabapuã, que utiliza uma das instalações da Sabesp para suas reuniões.

O Grupo de Escoteiros Tabapuã está em atividade desde 1963, e tem o apoio da Sabesp praticamente desde a formação da empresa. Durante as manhãs de sábado, a partir das 08h30, os jovens  concentram-se na unidade Sabesp da Rua Cajaíba, em Perdizes, e ficam encarregados de cuidarem dos terrenos da empresa após a reunião.

O grupo conta com aproximadamente 40 jovens, na faixa etária de 7 a 21 anos. Eles são divididos em categorias por idade: lobinhos, escoteiros e seniores. Cada categoria tem um instrutor que coordena as atividades, e ao fim de cada atividade os instrutores apitam para os escoteiros voltarem à formação e assim realizarem seus gritos de guerra. A unidade é administrada pelo instrutor Alexandre Fejes, mais conhecido como Lecão.

Um dia com os escoteiros

Grupo de Escoteiros TabapuãO sábado do dia 31 de março foi um dia especial para os escoteiros e a Sabesp. Foi entregue a bandeira da companhia para que seja hasteada em sincronia com a bandeira dos escoteiros e a bandeira nacional.

Às nove horas em ponto os escoteiros foram chamados para a abertura e o hasteamento das bandeiras. Os instrutores André e Lecão organizaram os escoteiros na chamada formação ferradura, com os mais velhos em torno da haste e os lobinhos no meio. Após os ajustes nos uniformes, o grupo realizou seu grito de guerra.

Seguindo com a abertura da reunião, o instrutor Lecão enfatizou a importância do hasteamento na unidade: “Estamos aqui na Sabesp há 40 anos, e ela é nossa apoiadora desde então, sempre nos dando suporte. A Sabesp entregou a bandeira dela ao grupo essa semana para a gente hastear junto com a bandeira nacional. Vale constatar que a Sabesp apoia cerca de 10 grupos de escoteiros espalhados por São Paulo.” Assim foram hasteadas as bandeiras, cada uma erguida por dois escoteiros.

Depois do hasteamento, a representante do Grupo de Escoteiros Palmeiras deu um recado de bom comportamento e liderança, tomando como referência a morte do torcedor da torcida Mancha Alvi-verde. Os escoteiros são liberados e, ao fim de cada brincadeira, o instrutor apita para os escoteiros se juntarem em formação e darem seus respectivos gritos de guerra.

Grupo de Escoteiros TabapuãAproveitando a onda do escotismo que se reúne nas unidades, alguns empregados da Sabesp colocam seus filhos para fazer parte dos grupos. A exemplo da lobinha Isabella Sanguinetti de Oliveira, de sete anos, filha da analista de comunicação Karen Matos. "Comecei agora como lobinha e gosto muito do Grupo Tabapuã porque lá encontrei novos amigos e tem atividades muito legais e divertidas", diz Isabella.

Este conteúdo te ajudou?
6 0
Compartilhe Imprima

Buscar em Noticias


Por data: de:   dd/mm/aaaa

até:  dd/mm/aaaa

Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.