Notícias

Obras e melhorias da Sabesp na Baixada Santista somam R$ 326 milhões em 2021

 28/12/2021 às 10:00

Guarujá
Neste primeiro final de ano após maior flexibilização das restrições por conta da pandemia, a Sabesp atravessará mais uma vez o desafio de atender os moradores da Baixada Santista e os turistas, que nesta temporada de verão 2021/2022 estima-se que venham em número maior que ano passado. De janeiro a setembro/21, foram investidos R$ 326 milhões na melhoria e expansão dos sistemas de abastecimento de água, coleta e tratamento dos esgotos e bens de uso geral da Baixada Santista.
 

Foram realizados serviços para renovação das tubulações, reforços, prolongamentos e remanejamento das redes, totalizando 27 km de novas tubulações; inspeções em 60,3 km de tubulações com o uso da técnica chamada geofonamento para detecção de vazamentos que não afloram na superfície do solo (prejudicam as pressões das redes de distribuição); além de cerca de 20 mil reparos de vazamentos e a troca de mais de 26 mil ramais e hidrômetros dos imóveis.

A Sabesp se prepara ao longo do ano para dar continuidade aos serviços essenciais prestados 24 horas por dia, seguindo com as obras e melhorias planejadas com base na experiência em anos anteriores. Nesta temporada, a Sabesp entrega duas grandes obras na região central do Sistema Integrado de Abastecimento de Água da Baixada Santista, após aplicar R$ 27,7 milhões que, devido ao sistema ser interligado entre as cidades, beneficiarão imóveis dos nove municípios.

Após investimentos de R$ 11,7 milhões, já foi entregue e está em operação 1,8 km de novas adutoras construídas entre dois importantes centros de reservação de Santos: o Reservatório-Túnel Santa Tereza (no bairro Marapé) e o Reservatório Saboó. E deverá ser concluído em janeiro de 2022 obra – orçada em R$ 13,9 milhões – para reforço do fornecimento de água na Zona Noroeste de Santos, onde além de 14,5 km de novas adutoras e redes de distribuição também estão sendo instalados equipamentos para melhoria do monitoramento da pressão de água nas redes.

E para o decorrer do ano de 2022 já estão previstos três outros grandes empreendimentos: o reforço no abastecimento de Guarujá, com um total de R$ 47,9 milhões destinado à implantação de 37,7 km de novas tubulações no Centro da Cidade e 21,5 km no distrito de Vicente de Carvalho, além de válvulas, macromedidores e pontos de monitoramento de pressão localizados estrategicamente no município. Também deve entrar em pré-operação a duplicação da capacidade da estação de tratamento de água (ETA) Mambú/Branco, que após R$ 46,6 milhões passará a tratar 3,2 mil litros de água por segundo – inaugurada em 2013, atende diretamente Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande e área continental de São Vicente. E mais R$ 41,8 milhões em cinco novos reservatórios construídos em Bertioga, Guarujá, Santos, Itanhaém e Peruíbe, que garantirão o aumento do fornecimento de água o sistema integrado da Baixada Santista.

Operação Verão 

A Sabesp ainda colocará em prática nesta época do ano um plano de contingência que além dos mais de 500 funcionários próprios e terceirizados, envolve a contratação temporária de cerca de 170 agentes e técnicos em sistemas de saneamento para reforço das equipes de campo – entre setores de produção, adução, distribuição, manutenção, eletromecânica e automação –, plantões presenciais e à distância, motociclistas para vistorias prediais, operadores para inspeções 24 horas nas estações elevatórias (para bombeamento) de água e esgoto, disponibilidade de 22 caminhões-tanque, geradores móveis e bombas reservas para atendimento emergencial.

Torneira: abriu, usou, fechou – Para contribuir com o abastecimento, a Sabesp mantém a dica e dá um toque: é preciso que todos tenham consciência do uso correto das instalações hidráulicas do imóvel.

A obrigatoriedade das caixas d’água com seu devido dimensionamento – conforme o decreto estadual 12.342/78 e a regra da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) – previne que as pessoas fiquem sem água em momentos que haja uma variação na pressão, seja no período de maior consumo do dia ou enquanto são necessários reparos emergenciais ou manutenções preventivas. Por isso os domicílios devem ter reservação interna capaz de suprir o abastecimento dos moradores por ao menos 24h.

A superlotação das residências torna as instalações internas ineficazes, ainda que o sistema se mantenha operando plenamente. Recomenda-se que um imóvel com três ocupantes deva ter uma caixa d’água com capacidade para o consumo de, no mínimo, 500 litros/dia. Se forem seis ocupantes, a reserva interna deve atender um consumo de, no mínimo, 1.000 litros/dia e, se forem 10 ocupantes, a capacidade da caixa d’água passa para um consumo de, no mínimo, 1.500 litros/dia.

É importante que os clientes verifiquem com antecedência a regularidade do pagamento das contas, para evitar aborrecimentos com corte das ligações de água, e se o registro no cavalete está aberto, principalmente em residências de temporada.     

        

 

Este conteúdo te ajudou?
0 0
Compartilhe Imprima

Buscar em Noticias


Por data: de:   dd/mm/aaaa

até:  dd/mm/aaaa

Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.

Clubinho Sabesp

 

Simuldor de consumo