Sabesp Na Mídia

Sabesp investirá R$ 258 milhões no Grande ABC

  01/03/2013

Até o fim do próximo ano, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) irá investir R$ 258 milhões em São Bernardo, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra - nas demais cidades da região, a empresa não é operadora do serviço. A maior parte da verba será investida em coleta e transmissão de esgoto para tratamento.

A informação foi divulgada ontem, em evento de prestação de contas realizado em Embu das Artes, na Grande São Paulo. Em 2010 e 2011, foram gastos R$ 180 milhões em seis municípios ao Sul da região metropolitana do Estado. Também foram beneficiadas as cidades de Embu-Guaçu e Itapecerica da Serra.

Do total do investimento previsto até 2014, R$ 210 milhões (81,3%) serão destinados para São Bernardo, onde estão sendo implantados 43 quilômetros de coletores tronco - tubulações com até 1,20m de diâmetro e que leva o esgoto até a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) ABC, na Capital, próximo à divisa com São Caetano. Atualmente,  29% do material coletado na cidade é tratado. A meta é chegar a 90% em 2015.

Para Ribeirão Pires, a previsão é de que sejam investidos R$ 30 milhões até o fim do ano que vem, que também serão destinados, principalmente, para a coleta. Já Rio Grande da Serra deve receber R$ 18 milhões para a construção de redes de ligação de esgoto, que levam o material até os coletores tronco.

A presidente da Sabesp, Dilma Pena, informa que a companhia trabalha com prazo até 2020 para atingir 100% de coleta e tratamento em todos os municípios do Estado onde o serviço de saneamento é feito pela empresa.

Segundo Dilma, a meta também pode ser alcançada nas cidades onde a Sabesp não opera o sistema de saneamento. "Santo André, São Caetano, Diadema e Mauá não têm concessão da Sabesp. No entanto, o dimensionamento das nossas ETEs são para atender também a esses municípios. A Sabesp está à disposição para tratar todo o esgoto que é produzido nessas cidades, mas têm de haver negociação e iniciativa das prefeituras." Ribeirão coleta 75% do esgoto produzido e encaminha 70% para tratamento. Em Rio Grande, a coleta é de 51%, sendo que 85% do material é tratado.

Um dos municípios citados pela presidente como exemplo de parceria bem-sucedida com a Sabesp é São Caetano, onde o DAE (Departamento de Água e Esgoto) coleta e encaminha para a ETE ABC todo o esgoto da cidade.

Por outro lado, o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, cobra da Prefeitura de Santo André mais agilidade na construção de redes coletoras. "A grande estrutura oferecida por nós já está pronta, que é a estação de tratamento e o emissário ao longo do Rio Tamanduateí." A ETE ABC tem capacidade para tratar 3.000 litros de resíduos por minuto.

Dilma Pena critica Mauá por construir estação de tratamento

A presidente da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), Dilma Pena, criticou a empresa Foz do Brasil - concessionária dos serviços de esgoto em Mauá - por construir estação de tratamento no município. O equipamento deve ser inaugurado no segundo semestre de 2015.

"Este é um investimento que poderia ser utilizado para outra coisa. É totalmente desnecessário. A decisão é equivocada", comenta a presidente. Isso porque, na avaliação da empresa, a ETE ABC (Estação de Tratamento de Esgoto) já tem condição de absorver toda a demanda da região.

"Hoje, a cidade já poderia lançar todo o esgoto no emissário que vai para a ETE ABC. O emissário passa no Tamanduateí na porta de Mauá", salienta o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato. A nova estação será a primeira do Grande ABC que não será operada pela Sabesp.

A Foz do Brasil foi procurada para comentar as críticas, mas nenhum representante foi encontrado até o fechamento desta edição. O superintendente da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), Atila Jacomussi, não comentou o assunto, sob justificativa de que a decisão pela construção foi tomada pela Foz.

O investimento aplicado na obra é de R$ 167 milhões, sendo R$ 150,2 milhões aplicados pela Caixa Econômica Federal, por meio do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). O restante é contrapartida da empresa.

Atualmente, a taxa de tratamento de esgoto na cidade é baixa. Segundo Atila, entre 5% e 8% do material coletado é enviado à ETE ABC. O superintendente acredita que, após a conclusão da nova estação, será possível tratar 100% do esgoto. O equipamento será localizado na Avenida Alberto Soares Sampaio, no bairro Capuava.

O contrato prevê também a conclusão de redes coletoras, bem como implementação de coletor tronco, interceptor, estações elevatórias e ligações prediais.

Fonte: Diário do Grande ABC

Este conteúdo te ajudou?
0 0
Compartilhe Imprima



Imagens da Sabesp

Buscar em Mídia


Por data: de:   dd/mm/aaaa

até:  dd/mm/aaaa

Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.