Como surgiu

A Sabesp, em parceria com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), criou as bases de sustentação do Programa de Uso Racional da água.

Numa primeira etapa, foi montada a estrutura e, depois, desenvolvidos os projetos  piloto para criação da metodologia em hospitais, escolas, cozinhas industriais, prédios comerciais e condomínios.

Os resultados foram surpreendentes e permitiram identificar o consumo por habitante, bem como o potencial para reduzir o volume de água utilizado.

Confira na tabela o consumo por habitante em diversos locais: 
 

Natureza

Consumo por pessoa

Escolas Estaduais 1º e 2º Grau

25 litros/aluno/dia

Escolas Internatos

150 litros/aluno/dia

Escolas Semi - Internatos

100 litros/aluno/dia

Prédios Públicos e Comerciais

50 litros/funcionário/dia

Prédios Hospitalares sem lavanderia

500 litros/leito/dia

Prédios Hospitalares com lavanderia

750 litros/leito/dia

Prédios com alojamentos provisórios / cozinha / lavanderia

120 litros/pessoa/dia

Prédios Públicos - Quartéis/Militares

150 litros/militar/dia

Prédios Penitenciários

200 litros/preso/dia

Restaurantes - Prédios Públicos

25 litros/refeição/dia

Creches - Prédios Públicos

50 litros/pessoa/dia

Consumos específicos por natureza (fonte: Decreto Estadual 45 805, de 15/5/2001) 

Após o levantamento do volume de água utilizado, são adotadas medidas para monitorar as instalações hidráulicas e encontrar possíveis vazamentos.

Além dos reparos nas instalações hidráulicas na estrutura interna das edificações, há troca de equipamentos convencionais por economizadores e, ainda, palestras e orientações para modificar os hábitos de consumo.

O retorno de investimento é rápido e, em alguns casos, imediato. 

Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.

Agência de Notícias

Agência de Notícias