Início / Obras de médio e longo prazo

Obras de médio e longo prazo

Na perspectiva de médio e longo prazo, mais fontes devem ser incorporadas ao sistema integrado. As principais em andamento são:

Novos Reservatórios de Água

A Sabesp trabalha na construção de 29 novos grandes reservatórios de água para garantir o abastecimento da população na Grande São Paulo. 

Os equipamentos têm capacidade total para 235 milhões de litros de água em 16 cidades da Grande São Paulo. O investimento é de aproximadamente R$ 169 milhões.

Os novos reservatórios, que são fabricados em material de aço, além de ter maior durabilidade, são fundamentais para agilidade no atendimento à população.

Até o momento foram entregues 11 reservatórios gigantes: dois na área do sistema de água do Alto da Boa Vista (ABV), um em Franco da Rocha (Vila Santista), um em Capão Redondo (Parque Fernanda), um no Jardim Ângela, um em Diadema (Inamar), dois em Itapecerica da Serra (Campestre e Jacira), um em Embu-Guaçu (Centro), um em Embu das Artes (Santo Eduardo) e um em São Bernardo do Campo (Vila São Pedro). Os demais reservatórios têm previsão de conclusão até o final deste ano.

Sistema São Lourenço

O Sistema Produtor de Água São Lourenço tem conclusão prevista para outubro de 2017 e será responsável pela produção de 4.700 litros de água por segundo, que vão abastecer 1,5 milhão de moradores dos municípios de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista. 

Maior obra hidrográfica do país, o sistema vai captar água na represa Cachoeira do França, em Ibiúna. Serão instalados 83 km de adutoras (grandes tubulações), incluindo um túnel de 1.100 metros pela serra e uma passagem por baixo da Rodovia Raposo Tavares. Em parte do trajeto, os tubos chegam a ter 2,10 metros de diâmetro.

Um dos pontos principais é o bombeamento da água para superar o desnível de 300 metros da Serra de Paranapiacaba. O projeto prevê, ainda, a construção de uma estação de tratamento de água, em Vargem Grande Paulista, e reservatórios para armazenar até 110 milhões de litros d´água. Atualmente, 1.200 funcionários trabalham nos canteiros da obra, que empregará até 3 mil funcionários em janeiro de 2016. 

Interligação Jaguari – Atibainha (Cantareira)

A interligação entre as represas Jaguari (bacia do Paraíba do Sul) e Atibainha (bacia do Sistema Cantareira) permitirá a captação de água na represa Jaguari e a transferência para a represa Atibainha. Com vazão média prevista de 5.130 litros/s e máxima de 8.500 litros/s, o sistema também permitirá a transferência de água no sentido contrário, da represa Atibainha para a Jaguari, numa segunda etapa.

A transferência estará pronta para funcionar no segundo semestre de 2017, no sentido da Jaguari para a Atibainha, reforçando o Sistema Cantareira. O investimento é de R$ 830 milhões, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A represa Jaguari de Igaratá tem capacidade para 1,2 bilhão de metros cúbicos de água. Sozinha ela armazena 20% mais água do que o volume útil dos quatro reservatórios do Cantareira.

O transporte da água captada será feito por dois trechos distintos, com uma adutora com 13,5 km de extensão e uma adutora em túnel com 6,5 km de extensão. Entre os dois trechos haverá uma estrutura de transição (tubo-túnel). O sistema será composto, ainda, por uma estação elevatória (de bombeamento), subestação elétrica e demais dispositivos.

Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.

Clubinho Sabesp

 

Simuldor de consumo