Notícias

Rio Pinheiros mostra que é possível fazer melhor

 23/03/2022 às 00:00

 

"O Pinheiros está nos mostrando que é possível sim fazermos melhor"

Existe uma infraestrutura gigantesca no subsolo, que não vemos no dia a dia, para receber e transportar o esgoto das residências, comércios e indústrias. A título de exemplo, a extensão das redes de esgoto da Sabesp na Grande São Paulo ultrapassa os 32 mil km e o volume que circula nelas gira em torno de 1 trilhão de litros ao ano.

Também não vemos rios e córregos que foram cobertos por avenidas e ruas no século passado.  E são muitos. O crescimento rápido, assim como em outras cidades, fez com que os rios fossem escondidos, maltratados e poluídos. Córregos de fundo de vale e margens deram origem a avenidas e várzeas viraram áreas habitacionais.

Era a forma como se viam as coisas na época e a água era recurso tido como inesgotável. Hoje temos consciência como sociedade dos danos causados e precisamos trabalhar juntos para compatibilizar desenvolvimento e recuperação da natureza. Trazer os córregos ao estado original demandaria recursos econômicos vultosos não disponíveis, daí a importância em melhorar o que temos e conviver de forma saudável.

É o que estamos fazendo no Programa Novo Rio Pinheiros, criado pelo governador João Doria em 2019 e coordenado pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, onde já conseguimos conectar mais de meio milhão de imóveis à rede da Sabesp para enviar o esgoto ao tratamento. Muitos são de ocupação informal à beira de córregos afluentes do Pinheiros, que ficavam fora do radar do planejamento urbano.

O resultado pode ser notado no próprio rio, onde o mau odor desapareceu, o aspecto visual melhorou, peixes e aves estão voltando e as margens atraem mais frequentadores. Até o final de 2022 estará melhor ainda com entrada em operação das Unidades de Recuperação da qualidade da água dos córregos onde não é possível chegar com a infraestrutura de coleta de esgoto.

O Pinheiros integra o Projeto Tietê, iniciado em 1992, e os resultados puderam ser acelerados porque parte da estrutura pesada (da qual falamos no início deste artigo) estava pronta. Além disso, o Pinheiros traz uma inovação que é a remuneração das construtoras por performance, com base em resultados como o número de imóveis conectados e a qualidade da água dos córregos.

O Projeto Tietê trouxe avanços, levando o saneamento a quase 13 milhões de pessoas e reduzindo a mancha de poluição no rio de 500 km para 85 km. Temos que continuar trabalhando, unindo Governo do Estado, prefeituras, empresas, ONGs e população.

O lixo descartado incorretamente é uma das causas da poluição do Tietê e esse é um ponto onde todos podem ajudar. Além disso, precisamos reconhecer que tudo está interligado: planejamento urbano, habitação, geração de renda, educação, saúde, transporte, coleta de lixo e saneamento.

Cuidar dos rios, córregos e praias requer um trabalho contínuo. É como a nossa casa, temos que limpar todo dia, se não acumula sujeira. Então vamos trazer esse novo olhar às águas e cuidar juntos das pessoas e do meio ambiente. O Pinheiros está nos mostrando que é possível sim.

 

Benedito Braga é Presidente da Sabesp e Presidente Honorário do Conselho Mundial da Água

Este conteúdo te ajudou?
0 0
Compartilhe Imprima

Buscar em Noticias


Por data: de:   dd/mm/aaaa

até:  dd/mm/aaaa

Sabesp na sua região

Digite o nome do município onde você mora e conheça o trabalho que a Sabesp faz nessa região.

Simuldor de consumo